Últimas do blog

Você está em Home Blog


23/03/2021

Os 5 Erros Mais Comuns ao Gerir uma Empresa

Gerir uma empresa não é uma tarefa fácil, exige muita dedicação por parte do empreendedor e da equipe, mas pode se tornar ainda mais difícil quando ignoramos alguns pontos essenciais. Então, levando em conta a importância do assunto, foram listados os 5 erros mais comuns ao gerir uma empresa.

Se você já está empreendendo ou tem esse sonho, esses pontos podem ser muito úteis para lhe ajudar a evitar possíveis problemas.

1. Ausência de fluxo de caixa

O fluxo de caixa é, sem dúvida, uma das principais ferramentas utilizadas para analisar a saúde financeira de uma empresa.

Através dele, o gestor consegue ter um controle maior das suas finanças, além de permitir com que tome decisões mais assertivas, já que possibilita que os gestores consigam extrair uma série de insumos extremamente importantes para uma tomada de decisão estratégica.

Por meio do fluxo de caixa, a empresa tem acesso a informações muito relevantes de forma simples. Resultados de entrada e saída são alguns exemplos do que pode ser observado nessa ferramenta, permitindo um controle muito maior das finanças da empresa e acompanhando sua saúde financeira.

E mais, ao montar um fluxo de caixa, o ideal é utilizar algum tipo de planilha ou Softwares no lugar de papéis e cadernos que demandam mais tempo e possuem maiores riscos de desorganização. Ao automatizar seus registros se torna possível um acesso mais rápido e fácil, prezando pela organização.

Inclusive, a falta de controle pode prejudicar qualquer negócio, seja no curto prazo ou longo prazo, uma vez que impossibilita a mensuração de importantes indicadores como lucro, prejuízo, saídas e entradas de caixa.

Então, se sua empresa ainda não possui um fluxo de caixa, é interessante que pesquise ou busque ajuda para a implementação da ferramenta no seu negócio.

Vale salientar que os erros mais comuns ao gerir uma empresa, principalmente na parte financeira, levam as empresas à níveis mais críticos, podendo ocasionar um acúmulo de dívidas e até mesmo a falência.

2. Precificação inadequada

Esse, sem dúvida, não poderia ficar de fora dessa lista. Segundo a revista Forbes, os problemas com preço e custo, são uma das 10 principais causas que levam uma pequena empresa a falência no Brasil, mostrando que a precificação precisa ser tratada com muito cuidado e seriedade.

Hoje, com o acesso a informação cada vez mais simplificado, podemos encontrar facilmente no Google, YouTube e redes sociais, pessoas e materiais que indicam variadas formas de precificação.

Então, independente do segmento ou até mesmo o porte da empresa, existem alguns pontos indispensáveis para definir um preço de forma assertiva e próxima ao ideal.

Levando em conta os pontos mais comuns, pode-se destacar:

  • Custo direto e indireto;
  • Margem de contribuição;
  • Ponto de equilíbrio;
  • Análise do mercado e da concorrência.

Com todos esses indicadores, pode parecer uma tarefa complexa determinar o preço de seus produtos e serviços, mas, com a ajuda e estudo corretos, é possível se sentir seguro ao precificar e não correr o risco de cobrar acima do recomendado ou abaixo do ideal, perdendo clientes e aumentando prejuízos.

Dessa forma, percebe-se que a precificação merece receber uma atenção especial. Entenda o mercado, calcule esses indicadores, para que o preço do empreendimento seja o mais adequado possível.

3. Falta de análise de concorrência

Esse é um ponto que grande parte dos novos empreendedores e até os mais antigos no mercado negligenciam. Analisar os concorrentes é indispensável se uma empresa quer evoluir, já que, com esse conhecimento ela adquire:

  • Clareza sobre a situação atual do mercado;
  • Ajuda a ampliar a visão e o conhecimento do gestor;
  • Permite identificar oportunidades;
  • Auxilia na coleta de insumos importantes para uma tomada de decisão estratégica.

Vale lembrar que o concorrente pode não ser somente aquela mesma empresa localizada ao lado do empreendimento, é interessante que se analise todos os potenciais concorrentes, para que se tenha o máximo de insumos possível.

Ao fazer a análise da concorrência, existem algumas ferramentas que ajudam e fornecem ao administrador da empresa uma série de insumos interessantes para uma maior clareza, gestão de conhecimento, ou até mesmo possibilitar uma tomada de decisão estratégica com base em dados.

Uma delas é chamada de 4P’s do marketing, uma metodologia que possibilita vislumbrar como a concorrência apresenta o seu modelo de negócios. A ferramenta vai permitir ter uma clareza sobre os 4 principais pontos da concorrência:

Preço, Praça, Promoção e Produto

  • Produto: Quais são os produtos ou serviços ofertados atualmente pelas empresas concorrentes. Podendo destacar, nome e características do produto, por exemplo.
  • Praça: Mais direcionada a apontar onde estão os canais de venda, ou até de distribuição das empresas.
  • Promoção: Nesse ponto, a intenção é visualizar de forma mais clara como é o posicionamento da empresa, ou seja, quais são os canais que ela usa para divulgar os seus produtos e serviços, como são as relações públicas da empresa, como é a conexão com os consumidores, entre outros pontos que julgarem ser interessante, mas no geral, essa parte dos 4P’s vai abordar todas as formas como a empresa se promove.
  • Preço: Aqui, como o nome já diz a intenção é estudar os preços implementados pelos concorrentes. Então buscar visualizar como são feitas as cobranças atualmente, formas de pagamento, ou até mesmo buscar entender as políticas de descontos dos estabelecimentos. No geral esses pontos visam entender e visualizar tudo que envolve o preço dos concorrentes.

Além disso, outra ferramenta bem interessante e muito útil para analisar os concorrentes, é o chamado Cliente Oculto, que consiste basicamente em ter alguém se passando por um cliente da empresa para coletar percepções e entender um pouco mais sobre como o concorrente funciona.

Através do cliente oculto é possível ter uma clareza maior da estrutura da empresa, ou seja, os seus preços, atendimento, processo de venda, a qualidade e as variações dos produtos ou serviços oferecidos. Geralmente, a implementação do cliente oculto é extremamente útil e recomendada para aqueles que desejam conhecer um pouco mais os seus concorrentes.

4. Falta de análise de mercado

Erros comuns ao gerir uma empresa: a falta de análise do mercado, que é o que está na imagem.

A ausência de análise de mercado, assim como a análise de concorrência, pode ser uma grande vilã para qualquer negócio e é um dos erros mais comuns ao gerir uma empresa.

Porque seja qual for o segmento ou o porte, uma empresa necessita entender a fundo o mercado em que está inserida.

Para aquelas que já estão em funcionamento, a pesquisa é essencial para conhecer o mercado e o público, além de ser muito importante aos que desejam implementar um novo produto ou serviço, já que auxilia o gestor a ter mais clareza sobre a aceitação do mercado perante aquela nova oferta.

Dessa forma, se torna possível inovar sem levar em consideração apenas achismos e opiniões, mas algo concreto, com a certeza de que terá demanda e que sanará alguma necessidade dos clientes.

Para quem a pesquisa é importante?

Ainda vale destacar que a pesquisa não tem benefícios somente para empresas já estabelecidas, mas também auxilia a quem quer começar a empreender, já que pode auxiliar no conhecimento do público e o mercado no qual a pessoa deseja se inserir.

Enfim, acredite ou não, mas segundo a revista Forbes, não satisfazer as necessidades do mercado levou o primeiro lugar das 10 principais causas de fracasso das pequenas empresas. Sendo assim, é um ponto de grande importância, que merece atenção.

5. Ausência de metas

Por fim, temos como um dos erros mais comuns ao gerir uma empresa a ausência de metas. Sem dúvida, elas também são indispensáveis para qualquer empresa, já que direcionam um negócio e uma equipe para um objetivo em comum.

Sem as metas, sua equipe acaba ficando sem um caminho direcionado, gerando desmotivação e falta de pertencimento. Assim, é muito importante que toda empresa tenha metas claras, coerentes com o propósito e valores da instituição.

É essencial que hajam metas globais, responsabilizando toda empresa, e metas pessoais demonstrando o que cada colaborador pode realizar para impactar no todo. Para implementação dessas metas, vale a pena destacar 3 pontos:

  1. Metas não podem ser impostas, ou seja, é interessante que haja um diálogo entre gestor e equipe na hora de implementar, dessa forma será possível ouvi-los e modificar coisas para que todos se sintam participantes e estejam de acordo com aquela meta traçada.
  2. É importante estabelecer metas realistas, ou seja, metas possíveis de serem alcançadas. Não é interessante que uma empresa defina algo que seja impossível de atingir, então um olhar crítico é muito importante nessas horas.
  3. As metas precisam ser desafiadoras, então por mais que elas também precisam ser realistas, elas precisam tirar o gestor e toda sua equipe da zona de conforto, então deve ser definido algo que exija o esforço de todos dentro da empresa.

E então, conseguiu entender quais os erros mais comuns ao gerir uma empresa?

Empreender é uma decisão incrível, e esses cuidados podem ajudar muito qualquer empresário que sonha em crescer e evoluir.

Além desses pontos, existem muitos outros que precisam de atenção, mas caso esses destacados ainda não tenham sido implementados dentro da empresa, o gestor já tem por onde começar.

 

Caso Queira saber mais sobre esses pontos, entre em contato com a gente via WhatsApp. Nós podemos te ajudar com isso!

E se gostou do conteúdo, não esqueça de olhar mais textos no nosso blog ou entrar em contato para solicitar um diagnóstico!

 

 

 

Por Felipe Roque




Solicite um diagnóstico agora mesmo!

Soluções completas em consultoria para você e sua empresa.
Confira nossas soluções

Solicitar diagnóstico gratuito

Solicitar diagnóstico